Segunda, 10 Maio 2010 09:34

Julho

Escrito por Padre Werenfried
Avalie este item
(0 votos)

Deus é amigo dos pequeninos. Por mais que nós possamos nos comover quando descobrimos, nos olhos de uma criança, um vestígio do paraíso perdido, não é nada em comparação com o que o Senhor sente quando vê a pureza do próprio ser refletida nos olhos delas.

Ele se alegra na sua vivacidade e luminosidade. Por isso, não quer que se impeça às crianças, a quem pertence o Reino do Céu, de chegar a Ele. E sua maior expressão de ternura, que nos foi transmitida, é com aquele menino desconhecido que "Ele tomou em seus braços" (cf. Mc 9,36).

Ele amava as crianças de forma tão intensa, que se identificava totalmente com elas: "Quem acolhe em meu nome uma criança como esta, acolhe a mim mesmo" (Mc 9,37). Assim Ele nos prescreve que dispensemos às crianças a mesma veneração, cuidado e amor que devemos a Ele mesmo.

E, prevendo o que corruptores inescrupulosos fariam a seus pequenos protegidos, lançou ao mundo terríveis palavras: "Todo aquele que provoca a queda de um só desses pequenos que crêem, melhor seria para ele que lhe amarrassem ao pescoço uma grande pedra e o lançassem ao mar" (Mc 9,42).

Lido 7637 vezes Última modificação em Quarta, 29 Agosto 2012 10:24
Mais nesta categoria: « Junho Agosto »

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.